Faça login na sua conta!

Ainda não tem uma conta? Cadastre-se agora mesmo!

Mega Colunistas

Colunistas

Sonho de ser jogador de futebol é ameaçado por supostos empresários

Publicado em 27/12/2021 - 09:39 Por Marco Antonio Rodrigues de Oliveira
destaque
Créditos da imagem: Divulgação internet

Ser jogador de futebol é um sonho para muitas crianças, adolescentes e até mesmo adultos, principalmente em um país onde o esporte é tão popular, como no Brasil. Para alcançarem tal aspiração, os mais jovens na maioria das vezes participam das chamadas “peneiras” e buscam empresários e “olheiros” para patrocinarem o sonho de estarem em campo. No entanto, é necessário ter atenção e desconfiar de promessas de sucesso rápido e fácil em uma área de difícil ascensão.

Mesmo aqueles que já estão na área estão suscetíveis a caírem em tais golpes. Em junho deste ano, um falso empresário, Alexandre Santana, aplicou um golpe em Lucas Esídio, jogador do Sertãozinho no interior de São Paulo e filho do ex-jogador Nilson Esídio. O esportista depositou mil e duzentos reais na conta do golpista, que prometeu que ele jogaria na Tunísia, na África, com um salário promissor.

No ano de 2020, Maurício Pelegrini banido do futebol por esquemas de manipulação de resultados organizou peneiras pelo Brasil. Os participantes contaram que eram informados que ninguém havia passado, mas que com cerca de 5 mil reais ele iria os ajudar na profissionalização.

Outra modalidade criminosa envolvendo o futebol se liga a situações que comprometem o desempenho escolar, o contato com a família e expõe crianças e adolescentes a moradias inadequadas. De acordo com a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, levados por empresários, os mais jovens podem sair da escola, manterem contato com familiares apenas quando os empresários decidem ceder o telefone, e ainda dependerem deles para disponibilizarem dinheiro para comida e transporte, o que configura tráfico de pessoas.

Essas situações podem acontecer antes das contratações, nas peneiras, quando o participante viaja de uma cidade a outra em busca da aprovação, e durante a contratação, principalmente em times pequenos e com pouca estrutura, nos quais também existem denúncias de trabalho forçado.

Para evitar ser vítima de crimes envolvendo contratações no futebol, é preciso que os jovens, e que os responsáveis pelas crianças e adolescentes desconfiem de grandes promessas, cobranças excessivas e que verifiquem a situação em que os mais novos irão viver em caso de contratação, sempre possuindo contato e a certeza de que não estão na mão de empresários criminosos.

Denúncias podem ser feitas pelo 181, e através da Polícia Militar (190). 

Tags: peneiras, futebol, golpe, segurança
 Marco Antonio Rodrigues de Oliveira Marco Antonio Rodrigues de Oliveira
Segurança E Cidadania

O Coronel Marco Antonio Rodrigues de Oliveira, natural de Juiz de Fora MG, ingressou na Academia de Polícia Militar em 1991 como cadete e encerrou sua carreira em 2021 como comandante do 2º BPM. É filho de Policial Militar, o qual o inspirou para entrar na carreira. Nesses 30 anos dedicados a PMMG, exerceu funções em seis cidades diferentes: Belo Horizonte, Juiz De Fora, Ubá, Matias Barbosa, Ribeirão das Neves e Betim. Trabalhou em diversas funções administrativas e operacionais, além de ter recebido diversas honrarias pelos diversos serviços prestados, dentre elas a Medalha Alferes Tiradentes, maior honraria da PMMG. O amor pela área de segurança pública sempre fará parte de sua vida, assim, com o propósito de ajudar a quem precisa, Cel Marco vê uma oportunidade de transportar um pouco do seu universo para cá, trazendo informações relevantes que relacionam com a área para seus leitores.

Leia também: Incidência de crimes violentos em Juiz de Fora cai 46,26% em dez anos