Faça login na sua conta!

Ainda não tem uma conta? Cadastre-se agora mesmo!

Mega Colunistas

Colunistas

Mulheres Na Política De Minas

Publicado em 03/12/2020 - 19:42 Por Vanessa Carlos - Artigo editado em 21/01/2021 - 20:34
destaque
Créditos da imagem: internet
Você pode ouvir este artigo do Memória da Notícia em formato de podcast. Clique aqui e acompanhe de onde estiver

A semana é das mulheres eleitas prefeitas em Minas Gerais. Três delas souberam no domingo, quando saiu o resultado do 2º turno das Eleições de 2020, que assumirão a administração das prefeituras de Contagem, Juiz de Fora e Uberaba. Ao todo, 64 mulheres foram eleitas prefeitas no estado neste pleito. 

Mulheres à frente da administração pública ainda causam surpresa. “Você viu...  Nossa, quem é ela... tentou, tentou e finalmente conseguiu”. Felizmente paralelo a esse sentimento de novidade (que se confirma com os números) tem também um orgulho de representatividade, afinal elas tem diferentes histórias, perfis variados e são mulheres assim como 52% das eleitoras que vão às urnas em Minas. Representatividade parcial, já que se a gente contar o número de eleitas, corresponde apenas a 7,5% de mulheres no Executivo de Minas no próximo ano (MG tem 853 cidades).

Uberlândia elegeu oito mulheres vereadoras, sendo uma delas mulher trans. Este foi o maior número dos últimos 66 anos, quando a primeira vereadora da cidade foi eleita em 1955 – Maria Dirce Ribeiro. E depois dela demorou pra outra mulher conseguir uma vaga. Uma não, duas. Só em 1982 outras mulheres foram eleitas: Nilza Alves de Oliveira e Olga Helena da Costa. Mais de meio século para subir de 1 para 8 mulheres no Legislativo da cidade. Veja a reportagem com a lista das mulheres eleitas.

Aliás, a professora Olga foi a primeira mulher negra eleita vereadora de Uberlândia (1982), aí eu faço uma conexão, sem dúvida ela abriu portas que tem reflexos até hoje, afinal entre os 27 eleitos este ano, a mais votada foi Dandara, com 5.237 votos.


Olga Helena da Costa (vereadora eleita em Uberlândia em 1982). Imagem: internet

O resgate na memória de Minas continua e nós vamos um pouquinho mais longe: 1947, data da primeira eleição municipal após a reinstalação da Justiça Eleitoral. Neste ano foram eleitas as primeiras vereadoras, um total de 17 no estado inteiro, entre elas as pioneiras de Araguari, Campo Florido e Sacramento (confira abaixo a lista completa).

Crédito para a luta das mulheres não apenas por igualdade, mas pelo direito de ter voz e poder de decisão. São dezenas de outras mulheres que tiveram papel fundamental e conseguiram cargos decisivos como a primeira eleitora do Brasil (1927), a primeira prefeita eleita no País (1928), a primeira senadora negra (1981),  a primeira governadora de um estado (1982) e a primeira mulher presidenta(2010). Mas como boa “quase mineira” eu volto ao tempo dos Inconfidentes (1789), quando a luta era por liberdade de expressão, econômica e política. E já que estamos falando de mulheres, fico aqui com um trecho da carta que a dona Hipólita enviou para o marido inconfidente quando ele estava na cadeia. Ela escreveu o seguinte:

E quem não é capaz para as coisas, não se meta nelas; mais vale morrer com honra do que viver com desonra
Dona Hipólita Jacinta Teixeira de Melo

Era ou não uma voz forte em meio aos homens de Minas?

Linha do tempo:
1927 – Primeira eleitora do Brasil e da América Latina, a professora Celina Guimarães (RN)
1928 – Primeira prefeita eleita no Brasil (RN), Luíza Alzira Soriano Teixeira
1932 – O primeiro Código Eleitoral permitiu que mulheres acima de 21 anos tivessem direito ao voto
1933 – Pela primeira vez uma mulher pôde votar e ser votada no Brasil 
1947 – 17 mulheres foram eleitas vereadoras em Minas Gerais, nenhuma prefeita. Foi a primeira eleição após a reinstalação da Justiça Eleitoral.
1962 – Eleitas as primeiras deputadas estaduais de MG (Maria José Nogueira e Marta Nair Monteiro)
1965 – Código Eleitoral tornou o voto obrigatório a todas as mulheres, até então era facultativo, exceto para servidoras públicas
1966 – Eleita primeira deputada federal de MG (Nysia Carone)
1981 – Eleita a primeira senadora negra no Brasil, a médica Laércia Alcântara  (AC)
1982 – Primeira governadora a tomar posse em um estado brasileiro. Iolanda Fleming (AC) era vice de Nabor Júnior que deixou o cargo para disputar vaga no senado
1990 – Eleita primeira senadora de MG (Júnia Marise)
2009 – Partidos passaram a ser obrigados a compor chapas com pelo menos 30% de mulheres candidatas
2010 – Primeira mulher eleita presidenta do Brasil (Dilma Vana Rousseff)
2015 – Lei 13.165 determinou que 20% da propaganda política no rádio e na TV fossem destinadas para incentivar a participação feminina na política 
2019 – Eleita primeira deputada federal indígena (Joênia de Carvalho Wapichana (RR))

Vereadoras eleitas em 1947 em Minas Gerais:
Águas Formosas - Laudelina Gonçalves Melo Costa (PSD)
Almenara - Angelina Pereira do Nascimento (PR)
Araguari - Hilda Ferreira da Cunha (PSD)
Ataléia - Malvina Bandeira Gazel (UDN-PR)
Brasília (Brasília de Minas) - Emília Teixeira de Carvalho Sobrinha (PSD)
Campo Belo - Ione Maia (PSD) e Jacira Vilela da Silva (UDN)
Campo Florido - Lucilia Soares Rosa (PSD)
Capelinha - Herminia Eponina da Silva (PSD)
Minas Nova - Celuta de Figueiredo Costa (UDN)
Pirapetinga - Nilza Martins (UDN-PR-PSD)
Pirapora - Maria de Oliveira (PTB)
Recreio - Maria de Castro Gama Lima (UDN)
Sacramento - Paula de Graça Lima (PSD-PTB)
Santa Rita de Jacutinga - Rita Mendonça (PR)
Serro - Arlita de Lourdes Barbosa (PSD)
Varginha - Lucia de Carvalho (PSD)

*Este artigo teve a colaboração do Cartório Eleitoral e da Câmara de Vereadores de Uberlândia, TSE, TRE. Parte do levantamento histórico também tomou como base estudo da PUC-MG.
*Até a publicação deste artigo, duas prefeitas eleitas em Minas Gerais neste ano tiveram o registro de candidatura indeferido pelo TRE-MG e aguardam decisão do Tribunal Regional Eleitoral.


Estamos no Instagram. Acesse @memoriadanoticia e fique atualizado diariamente de um fato de destaque na história.

;

;

;

;

;

Tags: mega minas, mulheres na política, minas gerais, vanessa carlos, memória, história, eleições 2020, mulheres eleitas,
 Vanessa Carlos Vanessa Carlos
Memória da Notícia

Jornalista curiosa pelas histórias de vida das pessoas e com os sentidos atentos aos fatos que fazem do cotidiano elementos de transformação. Somente conhecendo a história é possível compreender o presente e desenhar o futuro. É o que teremos aqui toda sexta-feira, fatos recentes e outros um pouco mais distantes, porém conectados. Vanessa Carlos é apresentadora do MG1, da TV Integração. Tem 20 anos de jornalismo e experiência em edição, reportagem e produção de TV, trabalhou na assessoria de comunicação da emissora e com projetos sociais. Tem passagens pela rádio Cultura FM e revista Integra.

Leia também: Onde Você Estava Quando A Vacina Chegou?