Faça login na sua conta!

Ainda não tem uma conta? Cadastre-se agora mesmo!

Mega Colunistas

Colunistas

DIAGRAMA DE CAUSA E EFEITO (ESPINHA DE PEIXE)

Publicado em 19/10/2021 - 00:07 Por Prof. João Carlos Batista
destaque
Créditos da imagem: www.treinarvirtual.com.br
Partindo da premissa básica de que não se consegue solucionar um problema quando o ponto de partida é errado, ou seja, quando as  causas consideradas não são verdadeiras e principais, temos como ferramenta de auxílio  o "Diagrama de causa e efeito", também chamado de "Espinha de peixe" devido ao seu formato de apresentação.

Uma coisa é certa, se queremos soluções eficazes devemos partir de causas verdadeiras.

A relação entre um problema (efeito) e os fatores que o determinam (causas) é imprescindível para evitar a reincidência de efeitos indesejados.

É claro que existe certa dificuldade para, a princípio, um profissional inexperiente construir um diagrama de causa e efeito com precisão.  Entretanto a prática desta ferramenta permitirá a solução de seus problemas de forma a não permitir reincidências e melhorar o controle do Sistema de Gestão da Qualidade em sua Organização.

Este método foi aplicado pela primeira vez em 1953, no Japão, pelo Dr. Kaoru Ishikawa, professor da Universidade de Tóquio, na organização do trabalho de pesquisa de seus auxiliares. Em seguida Ishikawa passou a adotá-lo para sintetizar a opinião dos engenheiros de uma fábrica quando discutiam problemas de qualidade.

Devido à comprovada eficácia deste método, também denominado “Espinha de Peixe”, passou a ser utilizado no mundo inteiro, não somente para solucionar problemas de qualidade, mas em inúmeras outras situações.

O método mais típico de se elaborar o diagrama “espinha de peixe” é composto das seguintes fases:

1) - Definir claramente o problema a ser analisado (efeito).

2) - Identificar o maior número possível de causas que possam contribuir para gerar o problema (pode-se utilizar o Brainstorming para tal identificação). O envolvimento de todos os participantes do processo é imprescindível. 

3) - Construir o diagrama de causa e efeito no formato de espinha de peixe, colocando o problema que será analisado no quadrado à frente do diagrama. Faça tantos diagramas de causa e efeito quanto forem os problemas analisados (defeito, peso, cor, tamanho). 

4) - Para facilitar a análise do problema agrupe as causas definidas no brainstorming em categorias conhecidas como os “5M”, ou seja, método, mão de obra, material, máquina e meio ambiente.  

Para melhor explicar a metodologia vamos simular uma solução de problemas com base no texto abaixo: 

 - DETESTO SEGUNDA FEIRA

 Comecei a minha semana acordando atrasado e com ressaca. Não sei se foi meu despertador que estragou ou se fui eu quem esqueceu de programá-lo para despertar no horário. Também, depois da gandaia de ontem à noite, duvido muito que eu tenha tido condições de fazê-lo antes de deitar.

Para não acordar o meu colega de quarto, que tem o sono pesado, mas não suporta claridade, acabei me vestindo utilizando o fraco facho de luz que vinha da greta da cortina. Em seguida corri para a cozinha visando preparar o meu café da manhã. Na verdade, eu nunca fui muito bom na cozinha, mas desta vez acabei me superando. Preparei o pior café da minha vida, pois o pó estava vencido e ainda acabei exagerando no açúcar.

Enquanto eu me servia a alça do bule se rompeu, entornando café na minha camisa novinha. Inconformado, rapidamente limpei a cozinha e corri ao quarto para trocar de camisa. Como as outras camisas estavam amarrotadas, ainda acabei perdendo algum tempo passando roupa.

Ao sair do apartamento, como o elevador estava demorando resolvi descer pela escada até a garagem. No meio do caminho percebi que havia calçado por engano uma meia preta num pé e uma azul-marinho em outro. Enquanto subia as escadas de volta ao apartamento constatei que o meu erro foi provavelmente causado pela iluminação inadequada do quarto onde havia me vestido. Desta vez me calcei na sala, que estava mais bem iluminada.

Chegando à garagem constatei que a saída do edifício estava bloqueada pelo carro do meu vizinho, que se diga de passagem é um péssimo motorista. Depois de esperar pela liberação da passagem, finalmente consegui atingir a rua. Apesar da chuva pisei fundo no acelerador, mas como alegria de pobre dura pouco, acabei me metendo num engarrafamento que me fez arrepender amargamente por ter escolhido aquele itinerário.

Após sair do engarrafamento uma luzinha vermelha me deixou roxo de raiva. Era o marcador indicando que o combustível estava no fim, obrigando-me a parar para abastecer mesmo desconfiando de ainda haver uma reserva suficiente no tanque. Corri tanto para diminuir o meu atraso que já estava até orgulhoso de minhas proezas no volante quando, ao manobrar no estacionamento da empresa, um breve descuido me levou a arranhar justamente a pintura do carro do meu chefe.

Agora você percebe por que eu detesto segunda feira...


Com base no levantamento detalhado dos fatos conforme apresentados no texto, análise das ocorrências, e diante do diagrama acima devidamente preenchido, temos as possíveis causas para o problema de chegar atrasado ao trabalho. 

A pergunta chave é, quais são as causas raízes, ou seja, aquelas que se sanadas impedirão a reincidência do respectivo atraso? Para isto é nece4ssário pegar cada uma das causas supra e estratificá-la até chegar à chamada causa raiz.

Vamos exemplificar aqui a primeira causa sugerida, ou seja, "acordar atrasado".

Trabalharemos com a metodologia conhecida como os "5 porquês" , que é uma técnica utilizada para encontrar a causa raiz de um determinado problema.  É uma técnica de análise que parte da premissa que após perguntar 5 vezes o porque um problema está acontecendo, sempre relacionado à causa anterior, será determinada a causa raiz do problema ao invés da fonte de problemas.

1ª pergunta: Por quê acordei atrasado? 
Resposta - Por que o despertador não tocou
2ª pergunta: Por quê o despertador não tocou?
Resposta: Por que eu não o programei para despertar no horário
3ª pergunta: Por quê não o programou?
Resposta: Por quê eu esqueci
4ª pergunta: Por que esqueceu de programá-lo para despertar no horário correto?
Resposta: Por quê cheguei embriagado e deitei diretamente sem realizar as atividades obrigatórias e padrões que me garantem o funcionamento das atividades do dia seguinte, entre elas, dar corda no despertador.
5ª pergunta: Por quê chegou embriagado
Resposta: Por ter exagerado na confraternização e excedido o limite de ingestão de bebida alcóolica permitido pelo meu corpo 

- Podemos aqui concluir que um dos motivos principais (causa raiz) para o atraso ao serviço não foi ter acordado atrasado, mas sim, ter bebido além do que devia no dia anterior, tendo como ação corretiva o maior controle da ingestão de bebida alcóolica ou até mesmo a proibição da mesma caso não se consiga controlar a quantidade de bebida ingerida. Observe que esta análise possivelmente também poderá ser considerada pelo menos para as causas "Ressaca" e "Despertador não toca".

- A partir daí basta fazer o mesmo processo com as demais causas identificadas, gerando os planos de ação para atacar as causas raízes, com a utilização do 5W2H, que veremos no próximo artigo.

" F I M "

Se tiver dúvidas, pode postá-las em nosso grupo e o Prof. João Carlos terá prazer em respondê-las. Basta clicar no link abaixo e fazer parte de nosso grupo "MEGAMINAS - COLUNA JC". Nele você poderá retirar suas dúvidas e também postar sugestões de temas para os artigos desta coluna. Seja muito bem vindo à MegaMinas.com.

Reitero  o convite para que conheçam a TREINAR  ESCOLA  DE  NEGÓCIOS  A  DISTÂNCIA,  e seu respectivo curso intitulado "Formação de Líderes 5.0", que realmente será um divisor de águas para seu futuro, bem como de seus líderes, em relação à busca de resultados positivos e sucesso de sua empresa. 

Saiba mais clicando no link: Formação de Líderes 5.0


Reiterando, lembre-se...


Tags: Administração, gestão, empreendedorismo, inovação, liderança, sucesso, competências, gerenciamento, sucesso,
 Prof. João Carlos Batista Prof. João Carlos Batista
Gestão & Empreendedorismo

Apaixonado pelo que faz, estudioso e atuante na área de consultoria empresarial, bem como na área de treinamento, experiência como docente na UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora) e Faculdade Metodista Granbery, integrante voluntário do Rotary International, onde atuou como Presidente do Rotary Club Juiz de Fora Norte no ano rotário 2018/2019, fundador e diretor executivo da Treinar Gestão Empresarial e Treinar Escola de Negócios a Distância, dentre outras significativas atuações como gestor em sua carreira profissional, o Prof. João Carlos Batista disponibilizará nesta coluna conteúdo relevante sobre “Gestão & Empreendedorismo”, com dicas, notícias e novidades relacionadas ao mundo empresarial, buscando auxiliar empresários e empreendedores no desenvolvimento de ideias, projetos, criação, organização, gestão e busca contínua do sucesso de seus empreendimentos. " www.treinarvirtual.com.br "

Leia também: PDCA - A ferramenta ideal para a busca contínua da qualidade