Faça login na sua conta!

Ainda não tem uma conta? Cadastre-se agora mesmo!

Mega Colunistas

Colunistas

É cada susto que a gente leva...

Publicado em 03/10/2021 - 19:22 Por Priscilla Mundim
destaque
Créditos da imagem: Priscilla Mundim (Canva)


Cada ida ao supermercado é um susto. Sim, a inflação dos alimentos e dos produtos de limpeza tem reduzido drasticamente o nosso poder de consumo. O que a gente comprava há algum tempo com R$ 100, hoje já não estamos comprando mais. 

 

Você aí... que administra a sua casa e a alimentação da sua família, com certeza, vai concordar comigo que a nossa percepção de aumento dos preços está muito além do que os índices oficiais de inflação mostram. Quem sofre com isso? Quem ganha menos, claro. Aquelas pessoas que têm renda mais baixa estão sujeitas a variações bruscas de preços para um salário que não tem como e que NUNCA vai acompanhar esta subida.

  

Fiz a conta de um só produto que eu compro muito aqui em casa: peito de frango. Há dois ou três meses, aqui em Uberlândia, eu pagava cerca de R$ 12,90 no quilo do peito, aquele que vem em bandeja e que sempre foi mais barato. Nesta semana, eu já não encontrei o mesmo produto por menos de R$ 16 ou R$ 17,90, um aumento de 38%. Como aqui em casa, o peito de frango é muito consumido, a minha percepção de aumento foi muito além dos índices oficiais de inflação.

 

Momentos como este que estamos vivendo agora exigem da gente muito mais organização em casa. Período de inflação alta exige disciplina para controlar seu estoque aí, exige pesquisa de preços. Eu NUNCA vou ao supermercado sem uma lista de compras, sem antes dar uma olhada na minha "despensa". Buscar promoções e evitar consumismo são essenciais agora. Dê valor ao seu dinheiro.

 



O que fazer?

 

1) A maioria dos supermercados tem sites, redes sociais e anunciam bastante na TV. Pesquise com frequência, dê uma olhada uma ou duas vezes por semana nos seus preferidos.

 

2) Eu, particularmente, adoro um aplicativo de supermercado. Tenho e usufruo bastante deles. Vou acumulando pontos e troco por cupons de descontos na compra. Já economizei quase R$ 300 em apenas um deles.

 

3) Fique atento com marcas e preços por unidade de medida. O que isso quer dizer? Que produtos com embalagens de maior volume serão mais baratos, na maioria das vezes. Ótimas opções para os produtos de limpeza. Talvez seja melhor comprar embalagens maiores - gastar mais em um determinado mês, ficar dois ou três meses sem comprar - que ficar levando de miúdo em miúdo.

 

4) Você sabe a rotina do supermercado que você frequenta? Como assim, Priscilla? Te ajudo aí. Os supermercados têm rotinas de promoções e remarcações de preços pré-definidas, por exemplo: segunda, terça e quarta são ofertas de produtos de limpeza. Nas terças e quintas eles fazem promoções de verduras e frutas e no fim de semana de carne e frango. Essa rotina aí é de um dos supermercados que eu sempre vou aqui em Uberlândia. Como eu descubro? Perguntando. Sempre abordo um repositor e questiono se os dias continuam do mesmo jeito. Isso não é segredo pra ninguém e não custa nada perguntar.

 

5) Por fim, mas não menos importante, existem dicas que com certeza você já ouviu. Não vá ao supermercado com fome ou pressa. Tente não levar crianças. Fuja das gôndolas que só oferecem tentações. Faça uma lista antes de sair de casa. E aproveite promoções.

 

Gostou?

Acompanhe minhas redes sociais para mais dicas: @primundim

 

 

 

Até breve

 

Priscilla Mundim

;

;

Tags: finanças, dinheiro, família, casa, filhos, administração da casa, gastos, receitas, rendimentos, Gestão de Casa, poupar, investir
 Priscilla Mundim Priscilla Mundim
Gestão De Casa

Tenho 38 anos, dois filhos, marido, uma casa, um telejornal e vários outros projetos na minha responsabilidade. Sou economista e jornalista de formação. Tenho também mestrado em Ciências Econômicas pela UFU e outros cursos de aprimoramento profissional na área de planejamento financeiro. Moro em Uberlândia, trabalho na TV Integração - afiliada Globo - há 13 anos e sou editora-chefe do MG2, o jornal das 19h. Sejam muito bem-vindos!

Leia também: É hora de mudar essa realidade