Faça login na sua conta!

Ainda não tem uma conta? Cadastre-se agora mesmo!

Mega Colunistas

Colunistas

Você já organizou as suas finanças para 2022?

Publicado em 28/12/2021 - 21:06 Por Fernando Agra
destaque
Créditos da imagem: https://br.freepik.com/fotos-premium/mao-de-uma-mulher-escrevendo-no-caderno-segurando-o-dinheiro-e-a-calculadora-do-lado-dela-copie-o-espaco-vista-superior-conceito-de-orcamento-domestico_21671954.htm#query=or%C3%A7amento%20dom%C3%A9stico&position=15&fro

                Se sua resposta for positiva, ótimo. Com certeza você já conhece os benefícios de se ter um controle, ou melhor, uma organização nas finanças pessoais. Entretanto, se você ainda não se organizou, aproveite os últimos dias de 2021 e “mãos à obra”, de modo a começar bem 2022.

               O primeiro passo é ter uma conversa com a família, isto é, com todos que moram dentro de uma mesma residência. Ainda existem tabus e muitos evitam conversar sobre dinheiro. É fundamental que a comunhão entre os membros da casa se estenda também a questões relacionadas às finanças. É muito importante ter um orçamento doméstico organizado, onde devem ser anotadas todas as receitas e despesas. Não conheço outro método tão eficiente quanto este para sabermos para onde nosso dinheiro está sendo gasto. A família deve escolher a melhor maneira em que ela se adapta: papel, caneta e calculadora; planilha de Excel ou algum aplicativo funcional. O importante é que tudo seja anotado. Com isso, a família otimizará suas decisões para atender a necessidades e desejos, bem como a planejar o quando deve e pode gastar e o quanto deve poupar para a construção de reservas de curto prazo (para aproveitar boas oportunidades e até para fazer face a situações imprevistas) e de longo prazo (complemento de aposentadoria, estudo de filhos etc). Uma vez organizado e construído o orçamento doméstico, a família precisa ter a disciplina de anotar tudo e mensalmente fazer uma análise.

Outro ponto a ser discutido é sobre o padrão de vida que se pode levar. Vivemos numa economia que estimula cada vez mais o consumo comparativo. As pessoas costumam se comparar com o vizinho, com o colega do trabalho ou com outro familiar. Esse é um comportamento que deve ser evitado. Nós devemos fazer uma autoanálise para sabermos como está nossa evolução em termos de comportamento com as finanças pessoais. Devemos analisar se hoje estamos melhores do que no passado e se nossos hábitos de consumo e poupança têm evoluído e nada de nos compararmos com terceiros.

É muito importante conversar com as crianças de casa. Filhos educados financeiramente, desde cedo, serão adolescentes e adultos que terão uma melhor relação com o dinheiro (você tem alguma dúvida disso?). E a melhor maneira de educar é pelo exemplo. Por isso que os pais devem buscar o conhecimento sobre educação financeira e colocá-los em prática. Outra questão importante é combater todo tipo de desperdício que, além de ser bom para o bolso, também é bom para o planeta. O consumo consciente é sustentável financeira e ambientalmente.

Lembro que educação financeira não é ser “pão-duro” ou miserável. Ter educação financeira é saber administrar com racionalidade as finanças pessoais de modo que se possa atender às necessidades e aos desejos de modo a propiciar uma melhor qualidade de vida à família. Aproveito a oportunidade e desejo um feliz 2022 a você, caro leitor (internauta).

Tags: Educação financeira, consumo, poupança, finanças pessoais, orçamento doméstico.
 Fernando Agra Fernando Agra
Finanças Agradáveis

Fernando Antônio Agra Santos é palestrante e consultor nas áreas de Finanças Pessoais (Educação Financeira e Aplicações Financeiras). É Economista pela Universidade Federal de Alagoas e Economista da Universidade Federal de Juiz de Fora, Doutor em Economia Aplicada pela Universidade Federal de Viçosa, Professor da Universidade Salgado de Oliveira, Professor Visitante dos MBA´s da PUC-Minas e da UFJF (todas em Juiz de Fora - MG).

Leia também: Por que o preço das carnes subiu tanto?