Faça login na sua conta!

Ainda não tem uma conta? Cadastre-se agora mesmo!

Mega Colunistas

Colunistas

“Quando as pessoas querem o impossível, somente os mentirosos podem satisfazê-las.”

Publicado em 24/05/2021 - 14:17 Por Dra. Gabriela Lein
destaque
Créditos da imagem: Internet
  Esta é uma frase de Thomas Sowell, economista, filósofo político e escritor. Nascido em 1930 no sul dos Estados Unidos,  enquanto leis de segregação racial ainda estavam em vigor, Sowell foi o quinto filho de uma empregada doméstica cujo pai morreu antes de ele nascer. Seu trabalho lhe rendeu, em 2002, a Medalha Nacional de Humanidades, uma homenagem aos que contribuem com um melhor entendimento sobre a humanidade.

Mas esse texto, não é para falar sobre a biografia deste brilhante autor. Porém, concordo tanto com cada palavra dita, que resolvi iniciar por elas. No âmbito da saúde mental, vejo isso diariamente. Quantas vezes queremos o impossível? 

Todos nós queremos, quanto a isso não há duvidas. Em minha área de atuação, a psiquiatria, muitos pacientes me procuram pedindo uma solução para seus males, que eu lhes ofereça um remédio que salve a vida. Posso e devo, medicar a doença, porém  jamais o modo do indivíduo  existir.

 Certa vez acompanhei uma paciente por longos anos, se queixava de dores crônicas, tristeza sem motivo aparente e insônia. Era completamente insatisfeita com a vida que levava. Começou a  me procurar, porque o antigo psiquiatra havia morrido, e ele lhe prescrevia doses diárias de diazepam, que anestesiava suas angustias, mas não tratava a causa. Ela tinha uma paixão por esse médico e pelo seu remédio,  sempre repetia o quanto "Dr X" lhe fazia falta, principalmente quando comecei a implica-la na própria queixa. Era casada há 20 anos e há 10 anos residia na mesma casa com o marido em silêncio completo, não trocavam ente si uma única palavra. Haviam traçado uma linha imaginária  na residência, e viviam uma verdadeira guerra fria. Ambos se recusavam a sair da propriedade, por questões da posse do imóvel, era o que ela alegava. Convivendo com essa situação há uma década, haveria medicamento que resolveria suas dores? Não precisa ser psiquiatra para saber, que a patologia originara na atitude que ela não tomará.

 Vejo tantos profissionais vendendo certezas, que entendo o comercio funcionar assim, mas não a vida. Vale lembrar, que quando o assunto é mente humana, a certeza é de uma estrutura psicótica, o neurótico tem dúvidas, sabe da suas limitações, ou ao menos era pra saber. A gente sonha com alguém que nos salve de nós, terceiriza e se puder compra mesmo, e mais se ilude! Assim depois reclama da colheita.
 
No marketing digital, por exemplo, a primeira orientação em sua página  profissional para a rede social, independente da área de atuação é vender certeza. Se você é psicólogo, adicione na sua bio a frase: "Faça a jornada da heroína, te ensino a sair da zona de conforto". Um nutricionista segue: "Emagreça sem sentir fome". Garantias sedutoras e impossíveis a todos, mas que vendem, devido a tendência humana de se iludir.

Outro exemplo, na política, quantos nomes vemos como heróis do povo, que chegam a Brasília, quase que em unanimidade nas urnas, por prometerem garantias?

Para não me estender demais, quero lembrar que na vida não há atalhos. Observe o exemplo na musculação, se quer ter músculos fortes e definidos é preciso dedicação quase que diária. Quando a prioridade é  um bom casamento, necessário será investimento no dialogo, rotineiramente. Na economia doméstica, mesma coisa, cautela e construção,e terá que saber o preço do pão!


;

;

;

;

Tags:
 Dra. Gabriela Lein Dra. Gabriela Lein
Dra. Gabriela Lein

Gabriela Lein é médica atuante em psiquiatria, saúde de família e emergência. Atravessada pela psicanálise, há uma década atua em setor privado e público, realizando um exímio trabalho de investimento no indivíduo como cerne da vida. Visto esse modo atuante singular e impactante, promove saúde por onde passa, em âmbito nacional e internacional. Divulga seus questionamentos e inspira em suas redes sociais tanto no instagram quanto podcast, com base no conhecimento que tem do sofrimento humano real. Por aqui, semanalmente, acompanhem ela questionando o mundo em voz alta.

Leia também: A medicina é oca sobre o sujeito