Faça login na sua conta!

Ainda não tem uma conta? Cadastre-se agora mesmo!

Mega Colunistas

Colunistas

O Vírus Que Viaja No Celular

Publicado em 20/03/2021 - 10:07 Por Jeremias Brasileiro
destaque
Créditos da imagem: Fonte: https://www.techtudo.com.br

Por certo que já deveríamos estar livre de falar de assuntos espinhosos, tristes, que afetam nosso cotidiano implacavelmente. Excepcionalmente às vezes, o conto se faz necessário em tempos como o que estamos vivendo, em que uns atordoados não sabem o que fazer, outros insensatos pouco importam com o amanhã e muitos a pensar, de que forma organicamente sobreviver.

 

O Vírus denominado de COVID-19 é uma realidade entre nós, ele parece caminhar por todos os lugares e habitar espaços cujas acessibilidades são facilitadas pelas relações sociais. Não sei se há estudos científicos a respeito da possível presença de vírus em telas de celulares, eu, por precaução, limpo constantemente. O que tenho presenciado, é um comportamento descuidado, principalmente de jovens, ao usarem os celulares: em reuniões, festas, aglomerações.

 

Evidente que a maioria absoluta ou quase a totalidade não faz uso de máscaras, mesmo os que usam, os adultos também, tiram-nas para falar ao celular. Quantos espirros, quantas salivas, ficam impregnadas nas telas, que em ambientes festivos são compartilhadas com muitas pessoas?

 

E depois? Ao chegar em seus lares, quantas famílias não possuem crianças que por curiosidade colocam esses celulares nas suas mãos, brincam de escorregar os dedos nas telas, naturalmente não higienizadas pelos seus respectivos portadores? Quantas possibilidades de contaminações em massa poderiam ou não habitar em telas de celulares? Essas dúvidas por certo tem me acompanhando cada vez que percebo ajuntamentos de pessoas sendo exibidos nas redes sociais e em reportagens de televisão. Mas esse não é o único caso em questão nesse conto.

 

Estou a pensar em um vírus conhecido há muito tempo como língua. A língua é um vírus com uma capacidade extraordinária de promover mortes, quando associada a negações cientificas e uma utopia celestial, a uma seleção natural que isso comigo “não acontece”. É um replicar de conversações desnecessárias que incentivam os já insensíveis a praticar atos insensatos que atingem de morte os seus mais próximos: familiares, vizinhos, amigos.

 

A língua da geração mídias digitais quais whatsapps e outras, são propagadoras absurdas, em velocidade real, de outra doença, chamada de insensatez, que deveria estar somente nos livros de histórias do século XVIII. 

Tags: vírus, negações, intrigas, insensatez
 Jeremias Brasileiro Jeremias Brasileiro
Crônicas e Ensaios das Gerais

Doutor em História Social pela Universidade federal de Uberlândia. É Comandante Geral da Festa da Congada da cidade de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, desde o ano de 2005 e presidente da Irmandade do Reinado do Rosário de Rio Paranaíba, Alto Paranaíba, Minas Gerais, desde o ano de 2011. Desenvolve pesquisas sobre cultura afro-brasileira e sua diversidade nas Congadas de Minas Gerais, associando-as com o contexto educacional, em uma perspectiva epistemológica congadeira, de ancestralidade africana. Um intelectual afro-brasileiro reconhecido na obra de Eduardo de Oliveira: Quem é quem na negritude Brasileira (Ministério da Justiça, 1998), que lista biografias de 500 personalidades negras no Brasil; e na obra de Nei Lopes: Dicionário Literário afro-brasileiro (Rio de Janeiro: Editora Pallas, 2011). Detentor de um dos maiores acervos digitais sobre as Congadas de Minas Gerais, constituído desde a década de 1980, historiador com vasta experiência e produção cientifica sobre ritualidades, simbologias, coexistências culturais e religiosas em oposição ao conceito de sincretismo. Escritor, poeta, possui textos de dramaturgia, crônicas, literatura afro-brasileira.

Leia também: Atravessar A Pinguela Do Santa Mônica Para O Tibery