Faça login na sua conta!

Ainda não tem uma conta? Cadastre-se agora mesmo!

Mega Colunistas

Colunistas

Goste você ou não, Renato Gaúcho é a cara do Flamengo

Publicado em 19/07/2021 - 10:56 Por Bruno Ribeiro
destaque
Créditos da imagem: Alexandre Vidal/Flamengo
Cerveja no copo americano, fígado com jiló, salaminho com limão.

Eu sei que isso aí pode dar ressaca, indigestão e engorda. Mas essas coisas combinam demais da conta.

Renato Gaúcho e o Flamengo também. 
Não dá para saber se essa parceria vai dar certo e é possível que você reprove a chegada de Portaluppi ao Fla. Porém, treinador e clube se parecem e se merecem. Os motiivos seguem abaixo

TÍTULOS

Claro que aqui no Breja, Buteco e Bola vamos começar pelos canecos. Assim como eu no bar, Flamengo e Portaluppi ergueram muitos na vida. 

Recentemente o Rubro-Negro tem ganhado praticamente tudo que está ao alcance de um elenco forte e altamente competitivo, montado para colecionar taças. Fez isso com Jorge Jesus e até com Rogério Ceni, bom treinador, mas que era um aluno recém-aprovado no teste de direção, a quem foi dada uma Ferrari para pilotar. 

Em cinco anos de Grêmio, Renato conquistou Libertadores, Copa do Brasil, Recopa Sul-Americana e títulos estaduais. Não ganhou o Brasileiro, muito pela opção de apostar nas copas. Agora, Portaluppi não terá desculpa de elenco para poupar no Campeonato Brasileiro. 

IDENTIFICAÇÃO 

Muita gente resume a relação entre Renato Gaúcho e Flamengo ao gol de barriga que deu o título do Carioca ao Fluminense em 1995 contra o Rubro-Negro. 



O momento é icônico, mas não apaga o fato do ex-camisa 7 ter sido campeão do Brasileiro e da Copa do Brasil pelo time da Gávea. Renato tenta escrever historia como treinador do clube, mas já tem nome cravado na galeria de grandes jogadores do Flamengo (assista ao vídeo acima)

"ISSO AQUI É FLAMENGO"

Talvez não haja frase melhor para mostrar o quanto Renato Gaúcho e a torcida do Flamengo se parecem. É aquela confiança, misturada com irreverência, que chaveca a arrogância.

Desde os tempos de jogador, Renato Gaúcho é irreverente, brincalhão, zoeiro, o que se repete como treinador. Aliás, acho que falta muito disso no futebol hoje em dia (veja abaixo)



Pela capacidade técnica e números que entregou em campo e à beira dele, sempre foi um otimista de plantão, que sabia que tinha condição de decidir. E decidia. 

E esse processo faz com que Renato Gaúcho flerte de forma constante com a prepotência e a arrogância. 

Às vezes ele cruza a linha, às vezes não. Baita personagem nas vitórias, mas um ser humano nas derrotas, que muitas vezes não recebe bem críticas. 

A torcida do Flamengo, que tem se reacostumado a ganhar títulos de expressão, em geral tem o jeitão dela de torcer. 

"Isso aqui é Flamengo", "Deixou chegar", "Aqui é Mengão". A gente sabe como funciona. 

E você, flamenguista ou secador, sabe que esse perfil geral dos rubro-negros não vem de hoje, só por causa dessa era vencedora recente do Fla. 

Tenho 32 anos e bebi muito refrigerante e cerveja no início dos anos 2000 nos botecos da vida, assistindo a times horrorosos do Flamengo jogarem, perderem e lutarem contra rebaixamentos. 

O discurso daquele tempo podia até ser mais contido, mas sempre esteve lá.

ALINHAMENTO POLÍTICO 

Antes que cadeiras, cascos de cerveja e outros objetos comecem a voar pelo bar, um aviso:

O QUE SERÁ ESCRITO ABAIXO É APENAS INFORMAÇÃO

Renato Gaúcho e o presidente Rodolfo Landim têm a mesma linha de pensamento político.

Recentemente, o treinador publicou um vídeo ao lado do vice-presidente Hamilton Mourão, no qual chama o presidente Jair Bolsonaro de "Mito" (veja abaixo)



Por sua vez, Landim e os dirigentes da cúpula rubro-negra têm alinhamento político claro com a direita, especialmente com o Governo Federal. Foi através dessa boa articulação, que Landim deu o start para a "Lei do Mandante".

O projeto de lei foi recentemente aprovada pela Câmara dos Deputados e dá direito ao mandante a comercializar os direitos de transmissão de suas partidas, sem a anuência do adversário.

Além disso, a pauta do retorno dos torcedores aos estádios foi muito apoiada pelo Flamengo, que sofreu com a perda da arrecadação com estádios vazios durante a pandemia da Covid-19.





E AÍ? VAI "DAR BOM" OU VAI "DAR RUIM"?

Se eu fosse arriscar meu suado dinheirinho, arriscaria em mais uma rodada de cerveja. Alias, isso não é gasto. É investimento.

Mas falando sobre Renato Gaúcho no Mengão, penso que as possibilidades de "dar bom" são consideráveis.

E já está dando, com dois jogos e duas vitórias. 

O cara é bom técnico, tem estrela e um baita elenco à disposição. 

Me fala aí o que você acha, mas vou pedindo a conta.

Vou combinar um chope com a Carol. 

Se pá, ela me passa mais detalhes sobre esse início de rolê do pai dela na Gávea.

Eu conto para vocês!

;

;

Tags: Flamengo, Renato Gaúcho, Renato Portaluppi, futebol, títulos, Rodolfo Landim
 Bruno Ribeiro Bruno Ribeiro
Breja, Buteco e Bola

Muita gente curte uma resenha. E se for em uma mesa de bar, melhor ainda. O “Breja, Buteco e Bola” é um bate-papo entre você e eu, um jornalista que ama esportes, um bate-papo descontraído e aquela cerveja bem gelada, com direito a várias saideiras. Garçom, traz mais uma rodada, que essa é na minha conta! Puxa uma cadeira e vem pra resenha! Você é o meu convidado! Instagram @bruninho21ribeiro

Leia também: A torcida reflete a grandeza do Vasco